O que 3 capas de revista e o Rock in Rio ensinam sobre relevância

Conquistar relevância é importantíssimo para se tornar uma autoridade… mas é preciso saber como!

O seu trabalho é importante e possui relevância para a sociedade? O que você faz contribui de forma sólida para algum setor da sociedade?

Em alguns casos, fica óbvia a contribuição de um profissional para o mundo: um coach de autoestima, por exemplo, contribui para que muitas pessoas passem a realizar muito mais do que fariam com pouca confiança em si mesmos. Mas qual a contribuição de quem vende camisetas ou pregos? E daqueles que desenvolvem softwares? É claro que bons produtos trarão vantagens competitivas para o mercado e facilitarão a vida de alguns… mas uma marca pode fazer muito mais.

É tudo uma questão de ser relevante! Marcas relevantes conseguem ser mais amadas e respeitadas. Conquistar relevância é a grande chave para ter respeito da audiência e continuar tendo sucesso.

É isso o que fazem as revistas e os eventos que serão os “professores” deste artigo:

Forbes, Time e Você S/A: grandes causas

A Revista Forbes Brasil, recentemente, apresentou 5 das principais empresárias e empreendedoras do país! Mulheres com histórias importantes, e que representam a lista com as 40 mulheres mais poderosas do país. Assim, a maior revista de negócios do Brasil compra uma causa e valoriza algo que está totalmente alinhado com o factual: a valorização das mulheres em posições de liderança!

O mesmo pode-se dizer da revista americana Time. Conhecida por eleger a “pessoa do ano” em todas as edições de Dezembro, a publicação americana elegeu em 2017 todas as mulheres que “quebraram o silêncio” contra os casos de assédio em Hollywood. Poderiam eleger algum político ou celebridade, mas optou por se mostrar relevante ao defender uma causa.

Mais corajoso que isso, só a capa da revista “Você S/A” de dezembro de 2017, que decidiu falar sobre a inclusão de transgêneros no mundo corporativo. O tema ainda gera muito debate na sociedade, mas para uma revista se manter sempre relevante, é preciso abrir-se para o novo – muitas vezes, antes da maioria das pessoas.

Eventos de música e de cultura relevantes

Talvez você tenha ouvido alguém reclamar que o Rock in Rio “não tem mais rock”. Quando voltou a operar festivais, a organização do famoso evento de música foi criticada por alguns ao colocar astros do pop. Mas quando paramos para observar com calma, vemos que na verdade foi isso que contribuiu para que o festival continuasse relevante. Se o objetivo é conquistar os amantes da música, é preciso se abrir para os ritmos que conquistam o público atual.

Todos os grandes eventos precisam seguir se atualizando caso queiram mais relevância. Se o mundo muda, eles precisam mudar juntos, para que as pessoas continuem se interessando por eles.

E você?

Qual é a sua relevância? Que causa você já comprou? O que você defende? De que forma você pode mudar para se tornar importante no período em que vivemos?

Capas de revista e festivais de música podem ensinar muito mais do que pensamos à primeira vista.