Sua história é relevante para a mídia? Descubra em 3 passos!

Uma das dúvidas de empreendedores que mais chegam até mim está relacionada a este assunto: “Como tenho certeza de que a minha história e o que eu sei são relevantes para a mídia? Será que é o meu momento de começar um relacionamento com a imprensa?”.

É possível saber com certeza o seu potencial de mídia com uma análise mais aprofundada, mas existem alguns fatores que você mesmo pode observar e que a imprensa valoriza:

 

  • Currículo: quando a imprensa escolhe uma pessoa para falar sobre um determinado assunto, ela empresta a credibilidade da sua marca para esse entrevistado. Por isso, os jornalistas são criteriosos com relação ao tipo de educação formal que aquela fonte tem. Se você quer se posicionar como alguém capaz de falar sobre um tema específico, é importante que você tenha comprovações de títulos naquela área. Para você falar sobre saúde, é fundamental que tenha alguma formação acadêmica relacionada. Desta forma, o veículo vai acreditar na sua credibilidade como um especialista e confiar nas informações que você é capaz de oferecer.

 

  • Trajetória: se a sua educação formal não está direcionada à área em que você atua, outra forma de conseguir exposição na mídia é através da sua trajetória relacionada ao tema. Por exemplo, um atleta de sucesso é totalmente capacitado para falar sobre esporte e exercícios em geral. Porém, este atleta entra nas reportagens como o que chamamos de “personagem” da matéria, como um exemplo de alguém que experimentou e, por isso, pode falar sobre tema abordado. Perceba: grande parte das matérias tem estes elementos. Em uma reportagem sobre “Educação Financeira em Pequenas Empresas”, a matéria traz geralmente um economista ou alguém do mercado financeiro (currículo) para ser o especialista que vai dar as dicas, dizer o que é certo ou errado, e pelo menos dois empresários (personagens) que podem contar o que estão passando no sentido financeiro neste momento de suas empresas, seus erros e acertos, e servirão como exemplo do tema.

 

  • Reputação: a maioria dos jornalistas pesquisa sobre quem irá entrevistar no processo de desenvolvimento da matéria. Hoje, a forma mais fácil de fazer isso é através da internet. Ele olha seu site, imagens de buscadores, sites de reclamação, acompanha suas redes sociais, a qualidade do seu conteúdo, suas interações com a audiência, comentários negativos. Veículos da grande mídia consultam ainda outros especialistas, associações, acadêmicos, enfim, pessoas de credibilidade que podem falar sobre você. Como está a sua reputação? Você tem uma preocupação com o seu histórico de conteúdos na internet? Sabe lidar com os haters, tem um plano de ação para gerar opiniões positivas sobe você? As associações e os grandes nomes do seu segmento te conhecem e têm uma boa relação com você? Com quais deles você pode realmente contar?

 

Se unirmos esses três fatores, temos uma tríade que pode garantir seu sucesso na mídia. Mas você não precisa de tudo isso para começar. O importante é que você observe quais são os seus pontos fortes e quais pontos fracos precisa trabalhar e promova ações efetivas para que sua imagem “exploda” na mídia e, mais do que isso, permaneça.

 

“Ninguém consegue triunfar se a opinião pública está em seu desfavor.
Com a opinião pública a seu lado, ninguém é derrotado.” – Abraham Lincoln

http://bit.ly/vocenamidia

http://bit.ly/vocenamidia