Você sabe quantos e-mails um jornalista de redação recebe por dia?

Essa semana fizemos uma sondagem na imprensa (grande mídia) para descobrir quantos e-mails nossos amigos jornalistas recebem por dia com sugestões de pautas e eventos e quantas matérias precisam produzir por semana. Você imagina o que descobrimos?

Jornalista Um: o tem que menos demanda recebe 100 e-mails por semana e produz até 2 matérias por semana.
Jornalista Dois: o que tem demanda média recebe 200 e-mails por dia e precisa produzir, em média, uma matéria por semana.
Jornalista Três: o que tem mais demanda recebe 350 e-mails por dia e precisa produzir 7 matérias por semana.

Jornalista Um
Este é o mais tranquilo: recebe 400 e-mails por mês com sugestões que serão aproveitadas em apenas 8 matérias.
Isso significa que há uma chance entre 50 do seu e-mail ser aproveitado por este profissional e virar notícia.

Jornalista Dois
São 6.000 e-mails por mês, que resultarão em apenas 4 matérias!
Isso significa que ele aproveita um conteúdo a cada 1.500 sugestões que recebe! (E ele me confirmou que muitas vezes não utiliza nada e cria algo totalmente diferente de tudo o que mandaram).
Se ele demorar um minuto para ler cada e-mail, irá precisar de 100 horas por mês ou 25 horas por semana ou 5 horas por dia só para ler os e-mails!

Jornalista Três
Este cara tem que dar conta de 9.000 e-mails por mês e ainda por cima desenvolver 7 matérias por semana, totalizando 28 reportagens por mês.
Se lesse tudo, passaria 150 horas por mês lendo e-mails! Isso significa 37,5 horas por semana, ou 7,5 horas por dia somente lendo e-mails! (novamente, caso demore um minuto para ler cada e-mail).
Fora, isso tem que participar das reuniões da empresa, atender ligações de assessores de imprensa, ir a eventos, encontrar fontes, entrevistá-las e escrever as reportagens.
Se ele demorar três horas para entrevistar e escrever cada reportagem, vai utilizar 84 horas por mês, 21 horas por semana, mais de 4 horas por dia!

Com esses dados, quantos insights podemos ter?

Listo apenas alguns:
– Para fazer tudo o que a gente quer que eles façam, os jornalistas de redações precisariam ser escravos;
– Fica fácil entender porque o jornalista sai cada vez menos da redação e recusa convites para participar de eventos;
– Se sua estratégia para ter exposição na mídia está baseada apenas em disparar releases, provavelmente sua divulgação está um fracasso;
– É preciso ser totalmente criativo na abordagem a imprensa para se tornar marcante. Dentre milhares de opções, ele precisa te descobrir e te escolher;
– É fundamental estudar e conhecer a fundo a imprensa para ser cada vez mais relevante: o que aquele jornalista, daquela seção, daquela editoria, daquele veículo, precisa ou gostaria de saber sobre você?
– É muito melhor falar com a imprensa através de alguém que já é bem relacionado na mídia e que entende o seu mercado.

Pensei em outras 500 coisas, mas quero a sua colaboração. Vem fazer jornalismo e interpretar esses dados comigo? O que esse números querem dizer para você, afinal?

PS: Fico muito feliz em ver como a equipe da Sigma Six é eficiente em sobrepor estas estatísticas e colher resultados cada vez maiores para seus parceiros. Não é fácil, os resultados vêm de muito estudo, dedicação, persistência, inovação e, claro, com horas e horas de trabalho duro. E vamos sempre em frente com nosso lema “não me diga não, me diga quando”, pois temos plena consciência de que é possível conquistar o mundo nas notícias, sempre utilizando o know how dos clientes, acreditando na veracidade e importância das informações e respeitando e valorizando muito o trabalho dos nossos colegas de imprensa!

http://bit.ly/vocenamidia

http://bit.ly/vocenamidia