Somos todos Paralímpicos?

Somos todos, mesmo? Ou será que isso é uma ideia que só reduz o sofrimento do outro? Neste vídeo, eu apresento um cuidado muito importante para ser levado em conta: as palavras utilizadas em campanhas e outras ações da comunicação da empresa. E se a ideia é ser polêmico, então prepare-se para jogar este jogo!

Você ficou positivamente impactado ou chocado a ponto de entender qual era a mensagem da campanha?

Gravamos as reações de algumas pessoas e, os resultados foram os mais variados possíveis. Alguns contras e alguns a favor da campanha e isto acarretou em várias reflexões. Confira no vídeo  essas reações.

O fato é que esta campanha está gerando um monte de polêmica, e vale pensar também em como transformar isto numa visão que possamos ter no nosso negócio, na nossa imagem e na nossa reputação.

Ao querer mostrar que a Vogue está apoiando o evento, ela criou a hashtag “Somos Todos” e a ong de empoderamento feminino “Think Olga” traz uma reflexão para que a gente pare de usar este “somos todos”, pois no final das contas, não somos todos.

O fato de que nós simpatizamos com alguma causa ou a apoiamos, ou que entendemos o conflito de um grupo, não significa que a gente “é”.

Quando você usa esse “Somos Todos”, você se coloca como um igual sem você ser igual.

Então, quando você for criar suas campanhas ou aderir algum movimento, pense sobre isso porque as pessoas estão repensando muito essa questão desse “Somos Todos”.

Quando a Vogue criou esta campanha, eles sabiam que seria uma campanha polêmica. Quando criamos algo polêmico, a gente nem sempre consegue prever o que as pessoas vão achar daquilo,  mas precisamos entender que jogo estamos jogando e na medida do possível, tentar prever as consequências disto e, uma forma de fazer isso é, antes de tornar um anúncio público, dê para algumas pessoas analisarem, assim você terá percepções diferentes da sua, sobre a forma que você abordou o assunto.

 

Veja este conteúdo também em vídeo: