Close

24/11/2020

Guerreira: A melhor definição para a mulher brasileira

Todos os dias travando uma luta contra a violência

Trabalhar, ser dona de casa, mãe, esposa… Não são tarefas fáceis! Nós, mulheres, precisamos nos dividir em várias para dar conta das nossas obrigações e, como se não bastasse, nós vivemos uma luta diária contra a misoginia, o machismo e a violência.

 

Você sabia que a cada sete horas, uma mulher é morta no Brasil, única e exclusivamente pelo fato de ser mulher? Estes dados são do Fórum Brasileiro de Segurança Pública. Os números são alarmantes e, o que mais preocupa, é saber que a maioria dos casos de violência ocorrem dentro de casa pois, a cada 10 casos de feminicídio, nove, a mulher foi morta por seu companheiro ou ex- companheiro.

 

Durante a pandemia do coronavírus, os registros de casos de violência contra a mulher cresceram cerca de 40%, segundo dados do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos. Outro dado relevante é que, a cada dois minutos, uma mulher sofre violência doméstica no Brasil, e só em 2018 foram registrados 263.067 casos de lesão corporal dolosa pela lei Maria da Pena no país.

 

Mas, se engana quem acha que a violência se restringe apenas a violência física. Ela pode ser sexual, moral, psicológica e obstetrícia.

 

Ainda, segundo o Fórum Brasileiro de Segurança Pública, o ano de 2019 teve uma média de 180 estupros por dia, sendo que, em pouco mais de 81% dos casos, as vítimas eram mulheres.

 

Quando se fala de assédio sexual, no trabalho, 47% das mulheres já sofreram algum tipo de abuso, geralmente, por parte de seus superiores, de acordo com um levantamento feito pelo Linkedin e  a consultoria Think Eva. 

 

Pouco se fala sobre violência obstétrica, mas um estudo feito pela Fundação Perseu Abramo, em 2010, mostra que, no Brasil, uma a cada quatro mulheres sofrem violência no momento do parto, seja em instituições públicas ou privadas. 

 

O dia 25 de novembro é considerado o Dia Internacional da Não Violência Contra a Mulher e, hoje, mais do que nunca, precisamos estar unidas para soar um forte e sonoro BASTA para qualquer tipo de violência com qualquer uma de nós! 

 

Os números são assustadores! Nós não podemos permitir que mais mulheres se tornem estatísticas. Presenciou ou sabe de algum caso de violência contra a sua vizinha, a sua irmã, a sua mãe ou, se você mesmo foi/é vítima, LIGUE 180 e DENUNCIE. A ligação é gratuita e a denúncia, anônima! 

 

Juntas somos mais fortes! Você não está sozinha! 

 

#TriboCoraçãoRoxo 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.